Esta partilha contém um segredo

Este post contém um segredo!Mais do que a partilha sobre estes dias, conto algo, que não é assim tanto oculto, mas sim pouco falado por mim…Em 2014 comecei o meu primeiro negócio na área do turismo, mais propriamente no desenvolvimento de alojamento local, em Lisboa.Tudo começou com uma viagem a Barcelona, com o meu namorado-cohabitante e um casal conhecido.Os 4 com grande vontade de fazer algo diferente do que estávamos a fazer na altura.A cidade estava cheia e os hotéis estavam escassos.Foi então, que, contrariada, fui convencida pelo outro casal a reservar um apartamento local.(Sim, se viajas comigo, a probabilidade de ser eu a tratar de tudo é de 101% 🤣🤣🤣) Nunca tinha ficado num alojamento do género.Para mim, viajar significava hotelaria.Nessa viagem aconteceram 2 coisas, que levaram ao negócio em si, e à minha mudança da forma como viajo…A primeira foi todos termos constatado que em Lisboa ainda não havia um olhar tão profundo e profissional desta área, e propormo-nos a desbravar caminho, com um budget super reduzido, muita astúcia e parcerias com quem tinha as suas casas com dificuldade em arrendar (sim, já houve casas a sobrar em Lisboa!), utilizando as nossas competências pessoais subvalorizadas nos nossos empregos.Fazia anos que sentia o empreendedorismo dentro de mim, foi o empurrão para começar. A segunda… teve a ver mais com a viagem em si.Dividimos aquela semana e meia entre Barcelona e Palma de Maiorca, afinal 45 minutos separam um destino do outro e seria uma loucura não aproveitar para dar um saltinho à ilha 🤣🤸‍♀️Ao contrário de Barcelona, Mallorca estava ‘vazia’ e encontrei um excelente hotel, com piscinas em vistas lindíssimas sobre o porto, numa das zonas mais badaladas, numa super promoção que reduzia o preço para dentro do nosso budget.No balanço, e regressada, comparei as duas estadias. Mais propriamente o tempo que estive em cada um dos alojamentos e o respectivo preço de cada um (apesar da promoção o valor hotel em Mallorca foi mais elevado)Praticamente não estive mais que o tempo para a dormida e umas poucas horas de pequeno almoço em cada um dos alojamentos…E isso fez-me pensar no quanto há alojamentos que ficam caros, não pelo preço em si, mas sim pelo valor/usufruto que eu lhes dou… Apesar de dar muito valor a algumas questões, houve outras que deixaram de ser tão importantes para mim.Então, hoje, os detalhes de luxo do alojamento deixaram por completo o meu foco.E sim, o que vou fazer naquele local…Posso valorizar alguns detalhes se estiver num sitio remoto onde for para passar largas horas mergulhada no dito.Mas… o minimalismo apoderou-se de mim…! Sejamos honestas, que é muito raro eu ficar sossegadita num sitio, pois eu gosto é de palmilhar as redondezas, conhecer cantos e pessoas locais…Então, pagar por um espaço que não usufruo, é plenamente má gestão de recursos… financeiros e físicos/ecológicos de forma geral.Então, apliquei um novo estilo, logo na primeira viagem que fiz de seguida, em Janeiro de 2015. Menos investimento na dormida, com redução na categoria do hotel, e mais orçamento para a vida local.Nessa semana, e já conhecendo os pontos turísticos q.b., troquei o passeio de turista por uma semana literalmente a viver localmente e experimentar muito mais de Londres em múltiplas realidades de escolhas e possibilidades 🤣🤣🤣🤦‍♀️🤦‍♀️E aprendi mais sobre permitir fazer o que gosto, em vez de ir no que fica bem nos mimis e relatos (e fotos) sobre férias… De facto, ao ter de fazer escolhas, hoje:- prefiro muito mais viajar em Portugal, por aqueles lugares menos conhecidos,- reduzo o orçamento para o alojamento e isso permite-me usufruir de outras coisas de forma mais despreocupada,- quando restrinjo a procura ao orçamento, isso leva-me a descobrir terras lindas deste país fantástico que nem imaginava existirem,- distribuo o meu orçamento pelos comerciantes e serviços locais- contribuo para a nossa economia ser mais circular- crio memórias incríveis com situações e pessoas, que de outra forma, noutro local, não teriam tempo para se perderem em horas de conversa,- entre tantas outras coisas.. Claro que continuo a pôr, de quando a quando, o meu pezinho lá fora ou num local mais preparado para me deixar ficar em modo relax e luxo, mas o meu estilo de rentabilizar o mais a experiência, esse vai sempre comigo 😉 Hoje partilho esta história, porque muitas vezes ouço pessoas a partilharem que “não há dinheiro” para férias, mas acabam por usar o valor que usariam numa viagem deste tipo, em voltinhas locais, durante a sua pausa ou férias legais… Se esse é o teu caso, só precisas de ressignificar as tuas viagens…Há pequenos alojamentos, hosteis, a casa da prima da prima, onde podes ficar por um valor muito reduzido…Apenas um libertar dos pré-conceitos e permitir-nos viver mais situações diferentes, a partir de uma simplicidade…Por isso… se estavas à espera de eu te contar um segredo sobre aquele lugar xpto perdido no paraíso… encontrei um… mas não foi um hotel de luxos, e sim toda uma vila muito acolhedora, onde me senti acolhida e onde fui travando muitas conversas perdidas entre passeios, compras e comidas. No alojamento, pasme-se, fiquei numa pousada da juventude, num quarto partilhado, e tive como companhia duas mulheres, professoras, mãe e filha, já repetentes por ali.Vi aplicarem a mesma ideologia: uma cama quente e limpinha para dormir, e o resto… muita vontade e longos dias para curtir em experiências variadas.A empatia foi tanta e tão rica em 2 dias, que na minha partida trocámos contactos. E isso, gente, não se ganha fechado num local exclusivo… 😉 Foi apenas a minha 3a experiência neste registo de alojamento (espalhadas por 5 anos), em partilhar espaço com desconhecidos… Note-se que nem na faculdade aceitei por alguma vez compartilhar um quarto na república, chegando a negociar pagar as duas camas do quarto que queria, tal era a minha antiga rigidez quanto à restrição do espaço.Mas hoje, na minha consciência, cada vez mais me faz sentido.Lembra-te: mudar de ares e sair da rotina é preciso, seja fisicamente ou nas coisas que nos permitimos fazer… Esta mudança permitiu-me mudar muitas outras coisas.Pode fazer sentido para ti, ou não… 😉 Com amor e a desejar que todos possam viver uma vida feita mais de tempo para viver, do que restrições para o fazer,Judite

natureza
liberdade
férias